Como descobrir o que você gosta de fazer?

É normal se sentir perdido de vez em quando, pensando no rumo que a vida tomou, se você foi o capitão dela ou se foi apenas um navegante…

Muitas pessoas chegam aos 30, 40 anos sem ter a mínima ideia do que gostam de fazer, e, consequentemente, sem encontrar o seu propósito de vida. Pra você ter uma ideia, 72% das pessoas estão insatisfeitas com o trabalho que fazem, segundo a Gallup.

O trabalho preenche grande parte da nossa vida. Às vezes, convivemos mais com nossos companheiros de trabalho do que com a nossa própria família. Temos pouco tempo para nós mesmos.

É por isso que, de uns tempos pra cá, as pessoas estão cada vez mais interessadas em viver do que gostam de fazer e em preencher a vida com um trabalho que faça mais sentido para elas.

Nós já passamos por isso e, pensando em ajudar quem ainda não sabe o que ama fazer, preparamos uma lista com 7 passos que podem te ajudar a descobrir.

1. Olhe para dentro

Scott Dinsmore, nesse TED fala que pessoas apaixonadas pelo que fazem são especialistas em si mesmas.

Reflita mais sobre você. O que você adora fazer? Existe alguma coisa que você faz que te deixa hipnotizado, a ponto de você nem reparar no relógio?

Você tem consciência dos seus maiores valores? Vire um especialista em si mesmo e comece a olhar para dentro que você encontrará as respostas.

2. Revisite a sua infância

Quando éramos crianças, sempre imaginávamos o que iríamos ser no futuro. Astronauta, artista famoso, modelo, presidente, cabeleireiro, dançarino, criador de jogos de vídeo game, jogador de futebol, basquete, e por aí vai…

Que tal revisitar a sua criança interior, aquele ser que não tinha preocupações e que só queria ser feliz? Quais eram as coisas que você curtia fazer? Quais brincadeiras vocês mais gostava de brincar? Como era na escola? Qual sua emoção mais feliz e qual a mais triste? Isso tudo pode te ajudar a ver as situações de uma nova perspectiva. Quem sabe você não se lembra de um sonho que deixou de lado depois que cresceu.

Não quero dizer que você tenha que ser o que você queria ser quando criança. Não é isso!  O ponto é: do que você gostava ao pensar em ser jogador de basquete, por exemplo? Você gostava de trabalhar em grupo? Ser líder? O que te motivava na infância talvez ainda te motive hoje.

3. Finja que o dinheiro não existe

Talvez essa seja a tarefa mais difícil, pois nossa mente sempre vai querer racionalizar e julgar as nossas vontades. Essa é a hora de deixar os pensamentos livres e fluir na criatividade. E se o dinheiro não existisse? O que você faria? Pra onde iria? Como seria o seu dia? Redefina o significado de sucesso para você.

4. Pergunte e escute

Essa é mais simples, mas é impressionante o quanto ela pode te ajudar! Pergunte às pessoas com quem você trabalha e convive o que elas percebem de especial em você. Pergunte qual é a sua habilidade que mais se destaca para eles, o que você faz bem e até o que pode melhorar. Fique aberto e escute o que as pessoas têm a dizer. Você não precisa concordar com elas, mas esse exercício pode te ajudar a expandir sua visão de si mesmo.

5. Experimente

Essa é a dica mais prática. Vai lá e faz! Por que não tentar algo novo? Procure cursos, aceite oportunidades, converse com pessoas que você admira, seja voluntário, faça aquela viagem ou intercâmbio que você sempre quis, viaje o mundo, escale um cume, conheça outras realidades! Quebre seus modelos mentais, aceite desafios. O mundo é um lugar cheio de opções, basta você experimentar.

No livro do Gustavo Ziller, chamado “Escalando Sonhos”, ele conta que teve um piripaque e quase morreu aos 40 anos. Foi então que ele resolveu mudar tudo e experimentar uma coisa que sempre quis fazer: escalar. Ele se preparou para isso, emagreceu mais de 20kg, saiu do emprego que fazia mal para ele e ainda lançou um desafio para si mesmo: conquistar os 7 maiores cumes do mundo.

Teve coragem de ir lá e fazer. Mudou a sua vida completamente e depois da experiência de conquistar o primeiro cume, ele encontrou algumas respostas que estava procurando. Vai lá e faz! Sonhar grande e sonhar pequeno dá o mesmo trabalho. 😉

6. Procure um profissional

Essa dica parece óbvia, mas quando a gente se sente perdido, podemos ficar paralisados e esquecer que existe muita gente boa para ajudar a gente, né? Psicoterapia, psicanálise, seminários de autoconhecimento, coaching, entre outras coisas podem te ajudar muito a se encontrar. Aqui no Viva a Segunda, nós temos um programa chamado “Jornada Viva a Segunda”, e nele ajudamos pessoas a descobrirem o que amam fazer, qual o propósito delas e como trabalhar com isso. *

7. Faça este exercício!

Existe um quadro dividido em quatro partes que foi muito importante para nos ajudar a perceber o que gostamos de fazer, além de todas as outras dicas, que é mais ou menos assim:

o-que-vc-gosta

Depois que você listar todas essas coisas, sua cabeça vai ficar mais tranquila e você conseguirá visualizar melhor as atividades do seu dia a dia, o que você mudaria, como está o equilíbrio entre os quadrantes…mas lembre-se de que mesmo descobrindo o que você ama fazer, nem sempre você fará só o que gosta.

Descobrir o que se ama fazer é o pontapé para viver a vida que você deseja.

O trabalho não deve ser visto apenas como uma forma de ganhar dinheiro, mas como uma parte significativa da sua vida.

Para te inspirar a tomar uma ação para a mudança, trouxemos uma música do Daft Punk com o depoimento de Giovanni Giorgio e sua trajetória disruptiva. No PS. está o link da música e o texto do depoimento pra você ir acompanhando. Vale a pena ler pois o depoimento é muito legal e a música é ƒ©d@! Espero que te inspire.

A vida é muito curta para ser feliz apenas nos intervalos!

Agora conta pra gente: Qual a dica que você mais gostou? Qual você vai fazer primeiro?

PS. Depoimento: http://bit.ly/giorgiobymorode

Música: http://bit.ly/daftpunkgiorgio

*Se quiser saber mais sobre a Jornada Viva a Segunda, mande um email pra gente no: contato@vivaasegunda.com.br

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *